13 de julho de 2014

A máquina de contar histórias - Maurício Gomyde


Estava precisando voltar a dar mais atenção aos meus livros, pois a rotina e os compromissos tinham tomado todo o meu tempo e eu acabei deixando de passar uns minutos diários na companhia de um livro. Essa semana mesmo chegou os lançamentos do mês (Julho), e quando eu vi que tinha um livro do escritor Maurício Gomyde eu vi que eu precisava voltar a ler e ele seria a minha leitura de retorno ao mundo literário.

A máquina de contar história é o seu nome, um livro lindo, com uma capa muito bonita e chamativa, e uma diagramação simples, do jeito que eu gosto, sem contar também que assim como todos os outros livros do Maurício esse também tem uma trilha sonora.

O livro conta a história de um escritor best-seller, o Vinícius Becker que começou seu amor pela literatura de uma forma bem polêmica, e apesar de não ter a aprovação dos pais o incentivo de uma professora foi o bastante e ele continuou a seguir seus desejos e acabou se tornando um escritor renomado. Porém ele passou a escrever de forma mecânica, era uma máquina de escrever, não estava colocando seus sentimentos nos livros, apenas técnicas de escrita.

A família V que era Vinícius, Viviana, Vida e Valentina se tornou vítima de uma das doenças mais cruéis, a doença que tira as melhores pessoas que tornam esse mundo em que vivemos menos miserável. Enquanto Vinícius participava do lançamento do seu novo romance intitulado “A máquina de contar histórias”, Viviana falecia sozinha em um quarto de hospital. Ele sempre foi muito ausente em casa pelo fato de se dedicar muito a sua carreia literária, ele queria chegar ao topo, e chegou, era um autor best-seller, conhecido no mundo inteiro, seus livros foram traduzidos para diversas línguas, mas a “vida” resolveu mostrar que não é assim que deve viver. Ele perdeu o grande amor de sua vida e o carinho das filhas, em especial de Valentina, pois Vida ainda era muito nova, não entendia os problemas de gente grande. Vinícius precisa lutar para reconquistar o amor das filhas, e então planeja uma viagem com três destinos: Florença, Málaga e Londres, cada uma delas com um significado.

Eu estava tão afastada da leitura que achei que iria demorar muito pra ler esse livro, mas não, o escritor ele nos faz ter vontade de virar a página e de ler só mais um capítulo. Eu me emocionei bastante, em especial no capítulo 43. A história é muito emocionante e cheia de significados, é muito lindo ver que o pai mesmo passando por uma situação tão dura que é a perda da esposa, ele poderia se isolar do mundo e curtir sua dor, mas o que ele quer é recomeçar, aprender a amar, e reconquistar o carinho das filhas.

Maurício Gomyde está de parabéns, assim como a Novo Conceito que fez um trabalho de arte e diagramação incríveis. Falei nas redes sociais e repito aqui: Muitos dizem que para se tornar fã de um escritor é preciso que ele te emocione. A máquina de contar histórias me emocionou bastante, mas eu já era fã do escritor desde O mundo de vidro 

10 de julho de 2014

Um presente inesperado

O que vale nessa vida é ver como você aproveita 

Desde de a hora que levanta até a hora que deita 




Você abre o olho e o que o corpo menos quer é levantar da cama, a vontade é de ficar embaixo do cobertor quentinho com o marido. Porém os compromissos estão esperando e não podemos ter essa mordomia de dormir até mais tarde, pelo menos não durante a semana.

Depois que o despertador do celular toca e mais uns 10 minutos depois é que consigo levantar, engulo um café rapidamente enquanto jogo algumas coisas dentro da mochila. A essa altura o marido já levantou e está no banheiro, e então olho o relógio e vejo que já são 7h30 tenho que correr senão perco meu meio de transporte. Andando a passos largos - se é que se pode dizer que consigo ter passos largos, pois minhas pernas são curtas e eu não consigo andar rápido de forma alguma, não presto atenção ao meu redor como já é de costume e eis que resolvo levantar a cabeça e olhar pro céu, e me deparo com esse presente, um lindo arco-íris para me mostrar que devemos andar sempre de cabeça erguida, mesmo que você esteja em um dia ruim ou sem muitas emoções, o importante é andar sempre olhando pro céu, pois um presente desses não é todo dia que recebemos. 

O que vale nessa vida, vale como um bom presente 
Cai do céu o bem que a gente sente 

9 de julho de 2014

Livros, queridinhos da minha vida.


Ontem escrevi um post aqui depois de 2 meses afastada, e hoje recebo caixinha com livros da Novo Conceito, vou entender isso como um sinal muito positivo.

Receber livros me da uma sensação de extrema felicidade, o coração fica sambando no peito de tanto contentamento. Quero arrumar tempo para os meus queridinhos, pois estou precisando me aventurar em novas histórias, novos mundos.


Dois livros que me encantaram de cara, A máquina de contar histórias do queridíssimo Maurício Gomyde que agora está tendo seus livros lançados pela Novo Conceito, e mais um livro do selo #irado, Minha vez de brilhar da  Erin E. Moulton, autora do livro A jornada


Em meus pensamentos é mais um livro da série Os irmãos Sullivans da autora Bella Andre, é mais um livro indicado para maiores de 18 anos. Man Repeller é o livro da blogueira norte-americana Leandra Medine.


Desafio é o primeiro livro de uma trilogia, da autora C. J. Redwine, e O beijo é o quarto livro da série tão falada Bruxos e Bruxas  de James Patterson.

Esses foram os livros que chegaram, todos lançamentos desse mês de Julho, e que com certeza já devem estar disponíveis nas livrarias. 


Agora  vou ali dar início a leitura de A máquina de contar histórias